sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Chapter 49

"Eu não quero que o mundo me veja porque eu não acho que eles entenderiam"

Joe: Eu levo vocês, a cadeirinha do Frankie tá no meu carro... (concordei. Não estava mesmo a fim de ir sozinha. Me despedi de Nick e Selena que disseram que iriam mais tarde. E eu até entendia eles, com tanta coisa acontecendo não estavam encontrando tempo nem pra ficarem sozinhos. Assim que chegamos ao carro, Joe me ajudou a prender Maddie na cadeira e fomos nos sentar no banco da frente. Ela foi tagarelando o caminho todo, acho que pela bendita Coca-Cola.) Vou indo, tenho que fazer meus deveres também. (ele sorriu de lado, parando o carro na frente da minha casa, quando perguntei – por educação – se ele queria ficar)
Demi: Ah, tudo bem, então. Será que te vejo amanhã? (ele deu de ombros ainda sorrindo)
Joe: A gente vê. (assenti, abri a porta do carro para sair e ele falou de novo) Se cuidem.
Demi: Sempre. (abri a porta de trás e peguei Maddie no colo)
Joe: Tchau, pequena.
Maddie: Tchau, JJ. (ela sorriu e acenou. Fechei a porta do carro, equilibrando Mad num braço e nossas bolsas no outro, abri a porta de casa e entrei, logo colocando a pequena no chão) Tem doce, Demi? (ela me perguntou enquanto seguíamos escada acima.)
Demi: Você não acha que tá elétrica demais para ficar comendo açúcar? (ela respondeu um "não" rapidamente, me fazendo rir) Mais tarde eu faço janta e sobremesa, beleza? (larguei as bolsas sobre a cama e virei para ela, que estava emburrada, o que me fez rir mais) Que carinha de brava é essa, hein? (pude ver ela se esforçando para não sorrir, corri até ela, a peguei e joguei sobre o meu ombro direito) Quero ver ficar emburradinha agora. (falei quando ela começou a gargalhar)
Maddie: Solta, Demi! (gritou rindo, fiquei girando com ela até que eu não tivesse mais fôlego também. Apoiei ela num braço e ela me abraçou ainda rindo um pouco) Bobona.
Demi: Amor da minha vida. (sorri e beijei sua testa) Você tem alguma coisa da escolinha para fazer?
Maddie: Não sei. (deu de ombros)
Demi: E a responsabilidade, hein? (me fingi de brava e Maddie me olhou séria) To brincando. (mordi sua bochecha e ela sorriu.) Eu te ajudo a fazer se tiver. (deixei Maddie descer, abri nossas mochilas, tirando meu caderno e um lápis da minha e o caderno que Maddie indicou da dela. Nos deitamos de bruços no grande tapete do quarto.)
Maddie: Ah, Demi... (a encarei) Esqueci de mostrar isso, ó. (ela abriu seu caderno na página onde estava a folha de sulfite colada, e me entregou) É pra uma peça que a gente vai fazer, a mamãe tem que assinar. (percebi que ela me encarava com olhinhos pidões enquanto eu passava os olhos pela página)
Demi: Eu posso assinar pra você, você quer fazer? (ela assentiu sorrindo, peguei uma caneta e assinei, permitindo que ela participasse da tal peça)
Demi off.

Zac deixou Sterling esperando na linha do telefone quando ouviu alguém bater na porta. Andou até ela ainda rindo do que Sterling havia dito ao telefone. Abriu a porta sem olhar pelo olho mágico. Quando seu olhar subiu até o rosto da figura a sua frente o sorriso sumiu. Encarou a garota que conhecia tão bem e há tanto tempo.

Zac: A que devo sua ilustre presença na minha casa? (ela o ignorou, empurrou-o de lado e entrou, carregando a mala que trazia consigo.)
Lily: Se é que você pode chamar isso aqui de casa. (respondeu olhando em volta)
Zac: Digamos que esse tempo que você ficou fora não tenha melhorado sua educação, Lily Jane.
Lily: Cale a boca, Zachary.
Zac: Por que apareceu aqui, afinal? (fechou a porta e se jogou no sofá, encarando Lily em pé à sua frente)
Lily: Preciso de um lugar para ficar e preciso reencontrar a Vanessa. A casa que a gente morava está vazia e eu sei que você sabe onde ela e a nossa mãe estão morando.
Zac: Então você quer ver sua família novamente, depois de ter passado anos sumida. Que coisa, Lily. (ela revirou os olhos) Por quê?
Lily: Logan. (respondeu baixo e Zac gargalhou histericamente. Ela respirou fundo enquanto ele tomava fôlego de novo. Ainda se abanando com as mãos depois de rir, Zac falou)
Zac: Você tem noção do que você quer fazer? Você sabe muito bem que sua irmã não vai te deixar encostar um dedo nele.
Lily: Como se você se importasse com isso. Só preciso dormir aqui por alguns dias e que você me mostre a casa delas. Só isso. Nunca te pedi favor nenhum, Zachary.
Zac: Tudo bem. Só que a geladeira tá vazia, eu não como em casa e o único lugar que você tem para dormir é esse sofá aqui. (se levantou e desligou a TV.)

Andou até Lily, selou rapidamente seus lábios nos dela, sem tocar qualquer outra parte do seu corpo. Quando ela levantou as mãos para os ombros dele, ele se afastou bruscamente. Deu meia volta, desligou a TV com um puxão no fio e foi para o seu quarto, sem dizer mais nada. Lily respirou fundo, fechou os olhos e foi trocar de roupa. Deitou de lado no sofá, os cabelos presos num rabo de cavalo caindo sobre o encosto de braço em direção ao chão. Tinha se enrolado num cobertor que achou na dispensa.
Ainda não sabia direito o que iria fazer. Por enquanto, pensaria num jeito de fazer Vanessa baixar a guarda e deixar ela se aproximar de Logan, sabia que não seria nada fácil. Ela ainda não tinha certeza se deixaria Zac se envolver nisso ou não. Não sabia se queria ele próximo do filho.
Dormiu pensando em como aquele lugar podia feder tanto a homem, cerveja e cigarro. Também se perguntou se Zac havia limpado aquela sala no último milênio.

Zac: Garota, é meio dia. (chegou em casa batendo a porta. Lily ainda dormia e se assustou com o barulho) Veio aqui pra dormir o dia inteiro?
Lily: Cale a boca.
Zac: Parece que você ainda ama me mandar calar a boca. (se dirigiu à cozinha, Lily alcançou uma latinha de cerveja vazia que estava no chão e lançou em sua direção, acertando o meio das costas dele) Você tá louca, garota?
Lily: E você ainda ama me chamar de garota. Estamos quites. (levantou do sofá, deu uma ajeitada no cabelo e viu Zac passando na sua frente, com uma carteira na mão em direção à porta da saída.)
Zac: Vim só buscar minha carteira, não se anime. (disse sarcástico, ajeitando algo sobre a mesa da televisão)

Lily o ignorou, foi até a cozinha e abriu a geladeira. Não havia nada além de um resto estragado de sanduíche, dois ovos e uma lata de energético pela metade. Ela não ia comer aquilo nem que lhe pagassem.

Lily: Zachary?

Chamou para saber se ele não tinha saído ainda. Se virou de costas e, antes de ouvir a porta bater, viu 10 dólares e algumas moedas serem jogadas no chão, ao lado da soleira da porta da cozinha. Riu sozinha, sabendo que Zac nunca iria mudar. Ajuntou o dinheiro e junto dele havia um papel com um endereço escrito nele. Lily sorriu sozinha, correu até a sala e abriu a mala, jogando as roupas sobre o sofá e vestindo um short e camiseta qualquer. Enfiou o dinheiro num bolso, o celular no outro e saiu pela porta da casa como um furacão.
O cabelo escuro que ia até o quadril voava com o vento, enquanto ela andava rapidamente, olhando em volta procurando um lugar para almoçar. Parou em uma lanchonete e pediu um daqueles hambúrgueres gordurosos e um refrigerante, já que era a única coisa que conseguiria comprar com dez dólares. Não tinha reparado no tamanho da sua fome até pegar o lanche sobre o balcão. Comeu rapidamente, deu o dinheiro para a moça do caixa e perguntou a ela onde ficava o endereço do pedaço de papel que Zac deixara.
Saiu e seguiu pela rua vazia, era um sábado ensolarado e Lily estranhou o pouco movimento por ali. Andou por uns 10 minutos, dobrando nas esquinas que lhe foram indicadas e chegando até uma rua que não tinha comércio algum. Várias casas enfileiradas dos dois lados da rua, todas com um grande quintal na frente. Caminhou pouco mais de 20 metros, até encontrar a casa azul de número 64, que ficava do lado oposto da rua. Parou atrás de um poste de luz e viu que duas garotas estavam sentadas nas escadas na frente da porta conversando. Reconheceu Vanessa de longe. Ela tinha mudado bastante desde que a vira pela última vez, mais de seis anos atrás, mas ainda era a mesma Vanessa. Não reconheceu a garota do lado dela.
Seus olhos passaram pelo quintal e pararam em duas crianças brincando sob a sombra de uma árvore. Uma garotinha de vestido e um garotinho um pouco mais velho. Eles tinham um jogo de peças jogado sobre um pano azul. Lily reconheceu o menino como sendo seu filho, mesmo de longe ela lembrava de Zac ao olhar para ele. Logo lágrimas tomaram seus olhos, ela sabia que, de todas as burradas que já fizera na vida, abandonar Logan tinha sido a pior delas. Ela queria seu menininho, mas sabia que não seria nada fácil se aproximar.
Por um momento ela teve uma raiva incontrolável de si mesma, porque sabia que aquilo era culpa dela. Então lembrou de Zac, de como ele a induzira a acreditar que Logan seria um atraso enorme na sua vida e que ela merecia coisa melhor do que ter que criar uma criança. Ela e Zac não eram exatamente duas crianças na época, tinham feito 17 e acabado de se formar, poderiam ter trabalhado para sustentar o filho, mas ele preferiu fugir da responsabilidade e levar Lily junto. Ela não sabia como podia ter sido tão burra de cair na conversa fiada de Zac, não sabia por que tinha deixado para a irmã a responsabilidade de criar seu filho.
Ver Logan foi quase como se a realidade tivesse lhe dado um tapa na cara. Tudo que ela tinha ignorado e fingido não existir por tanto tempo havia se materializado bem na sua frente, e não tinha como fugir. Mas ela entendia que ela mesma tinha dado sua cara a tapa, quase sete anos antes, quando largou Logan no berço, pegou sua mala e saiu, pensando em nunca mais voltar.
Tirou o celular do bolso e discretamente tirou uma foto dele, sabendo que nem Vanessa nem a outra garota tinham visto ela ali. Respirou fundo, limpou as lágrimas e começou a correr de volta até a casa de Zac. Em menos de 5 minutos estava lá, se sentou no sofá, abraçou os joelhos e escondeu o rosto nas pernas. Um choro compulsivo tomando conta dela.

Lily: Por que você tem que ser tão estúpida, Lily? Estúpida, estúpida, estúpida...

Repetiu a palavra várias vezes até que ela perdesse o sentido e só seu choro pudesse ser ouvido na casa toda. Ainda soluçando, pegou o celular no bolso e olhou a foto que tinha tirado. A resolução não era das melhores, mas ela podia ver que Logan era um menino lindo. Lily imaginava como era a personalidade dele, já que Logan só tinha puxado o cabelo escuro dela fisicamente e o resto do Zac.
Deitou no sofá enquanto ainda encarava a foto, apertou o celular contra o peito e fechou os olhos. Por algum motivo estava cansada e caiu no sono ali mesmo, por cima das roupas e do cobertor usado na noite passada.
Lily acordou com o barulho da fechadura da porta da entrada. Se sentou, sentia as pálpebras pesadas por causa do sono. A porta se abriu e Zac entrou, trancando ela de novo em seguida. Lily pode ver que o céu estava num tom lilás, tinha começado a escurecer.

Zac: O que fez a tarde? (disse se dirigindo para a cozinha com uma sacola de mercado na mão)
Lily: Nada que te interesse. Eu acho. (Zac riu e ela pode ouvir um barulho de metal, ele estava guardando algo na geladeira. Lily pegou o celular e abriu a foto novamente. Voltou a pensar em como Zac usara as palavras para fazer ela desistir de Logan.) Por que você não quis que eu ficasse com ele?
Zac: O quê? (ele apareceu na porta, confuso)
Lily: O Logan. (ela tirou os olhos do celular e o encarou) Por que você me fez deixar ele com minha mãe?
Zac: Lily, não dá uma de louca. Você sabe que eu não te forcei a fazer nada, só não queria ver você trocando fralda de uma criança naquela idade. Você foi embora comigo porque quis, não te amarrei e te enfiei no ônibus.
Lily: Nossa criança, Zac. (ele ficou em silêncio, foi até ela e puxou o celular da sua mão)
Zac: Você viu ele? (ela apenas assentiu) Eu te dei o endereço mas não achei que você fosse ter coragem de ir até lá, Lily.
Lily: Você já conversou com ele? (perguntou olhando para os próprios pés)
Zac: Não importa... (ele jogou o celular sobre o sofá e virou de costas, voltando à cozinha)
Lily: Zachary!
Zac: Lily, esse garoto me odeia! E eu não quero mais saber dele, se eu quisesse ter alguma relação com ele não teria ido embora aquela vez! (gritou, virando-se de frente para Lily) Não sei como você acha que a Vanessa vai deixar você chegar perto dele depois de ter fugido. Você não sabe como ela se sente depois de tudo isso, não sabe.
Lily: E você sabe?
Zac: Eu falei com ela, eu vi o menino, eu conversei com ele. Eu não era da família. Ela é sua irmã.
Lily: Você era namorado dela! Você deixou ela para ficar comigo e me engravidou, Zac! Tá querendo dizer que ela confia em você?
Zac: Não, ela me odeia. (ele disse rindo, Lily viu que os olhos dele estavam ficando vermelhos) A diferença é que eu mostrei interesse, antes, em me aproximar, mas ele me odiou. E isso não me importa mais. Eu não me importo mais.

Zac se trancou no banheiro depois de discutir com Lily. Ela ficou sentada ali no sofá, mas parecia estar sendo sufocada. Se levantou e saiu da casa, caminhando pela quadra.
Aquele sentimento de arrependimento consumindo-a. Há tanto tempo que não sentia o calor e o amor da própria família. Tinha abandonado as únicas pessoas que um dia se importaram com ela para seguir sua paixãozinha adolescente que não durou nada.
Caminhou até a praia e deixou que apenas o vento falasse, acariciando seus cabelos. Ela esperava que ele lhe dissesse o que poderia fazer, mas não o fez.
Quando voltou à casa de Zac já passava das dez da noite e ele não estava. Ela andou até o quarto e se aconchegou entre os lençóis bagunçados, abraçando o travesseiro dele e dormindo em seguida.
E aí, pessoal? Duda aqui hoje. Nem lembro a última vez que apareci aqui porém q
Tudo bem com vocês? Como vai a escola? E a vida? Comigo e a Polly tá tudo bem.
Espero de coração que vocês gostem desse capítulo, focou mais no Zac e na Lily e a história do Logan, que a gente nunca tinha contado direito.
Vou deixar meu twitter e o da Polly aqui, se vocês quiserem nos incomodar lá u.u
@DudaMarquesR (eu, dã)                  @Polly_Cruz98 (Polly)

Abraços <3
Duda

13 comentários:

  1. VEIII ONDE VOCÊS TAVAM??
    TAVA COM SAUDADE DESSA FIC
    PORRA TA PERFEITO
    NÃO DEMOREM PRA POSTAR
    POSTEM LOGOOOOOOOO
    BEIJOS!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tava na minha casa e você? kkkk
      Problemas com ideias é sério.
      Porra, valeu!
      Desculpa o tempo todo. Postamos,depois de anos mas...
      Beijos!

      Excluir
  2. AAAH saudades da fic *---*
    Muito boom !!! Posta mais >.< hehe
    by:Juuh'

    ResponderExcluir
  3. Nossa, realmente faz tanto tempo, pensei até que tinha desistido desta fic ( o que seria um crime, já que a fic é perfeita)
    Adorei o capítulo.
    Não demora mais tanto não :)
    Posta Logo!
    bjsss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, muito tempo mesmo. Never.
      Que bom. Desculpa, desculpa.
      Postamos, beijos.

      Excluir
  4. Eu dei uma passadinha aqui e quando eu vi ja tinha lido tudi desde o começo e é muito perfeito esse blog *-----*
    A Meddie é tão lindaaa, quero ela para mim hihi <3
    Duda e polly se as duas não postarem o proximo capitulo eu estrangulo as duas u.u #rum
    Beijooos lindocas c:

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Omg,obrigada.
      Todos querem. Mas ela é minha e da Duda <3
      #Medo
      Beijos!

      Excluir
  5. Tag pra você no meu blog, http://myloveisaloser-jemi.blogspot.com.br/2013/11/tag-tatti.html
    xoxo linda :*

    ResponderExcluir
  6. Pode divulgar? É o blog de uma amiga, ela tinha colocado ele em hiatus e agora ta voltando!
    http://jemionelove.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Selinho pra você :)
    http://myloveisaloser-jemi.blogspot.com.br/2013/12/primeiramente-agradecer-lindona-da-kika.html#comment-form

    ResponderExcluir